Saturday, April 08, 2006


A SERPENTE

"Delirante jardim
Aonde o sol não chega

Perto de uma árvore
Serpenteia repentina

Serpente de olhar profundo
Olho do mundo

Me diz ao ouvido
Coisas doces, venenosas

Palavras de amor de quando foi gente
A agora serpente"

(Gustavo Adonias)



*Poesia registrada na Biblioteca Nacional sob número registro 401.580*


2 comments:

Dri Buzelin said...

Demais! Adorei essa.
Beijoca

Cintia Melo said...

Vc serpenteia palavras muito bem!!!