Thursday, October 19, 2006

ALGO ME FALTA

"Algo me falta...
Enquanto não identifico
Tenho que permanecer caminhando
Mancando de pernas coxas
E tropeços
Sem auxílio
Doem os meus pés
Que me transportam sem segurança

Ao cair levanto
Na certeza de um novo tropeço
E assim sucessivamente
As lições do passado se perderam com o tempo
Com o vento

As feridas não cicatrizam
Magoam a cada nova queda
Não tenho mais um corpo
Mas nódoas, placas
Sangrias

Lágrimas, lágrimas
Em rubro, escarlate

Um dia hei de aprender....

(Elenia Cardoso)

1 comment:

GustavoAdonias said...

Elenia, sua poesia é forte e um tanto áspera, como a caminhada do homem, cheia de tropeços, quedas e caminhos muitas vezes distorcidos. Cair é uma certeza, levantar uma necessidade. Mesmo com os joelhos esfolados e rubros em sangue, a vida sempre quer de nós coragem. Bela poesia.