Friday, October 29, 2010


RONIN DO AMOR

Ronin do amor
Sem destino
Segue sua sina aterradora
Solidão !
Sem rei ou porto
Já não há mais sentido
A vida sangra-lhe o peito
Lâmina afiada dilacerando o coração
Até quando andar a esmo
Em busca de uma pequena esperança
De uma inútil ilusão?
Trilha sozinho a sua estrada
Foge junto com a madrugada
Em algum lugar
Há de encontrar sua redenção...


(Gustavo Adonias)



*poesia registrada na Biblioteca Nacional*

1 comment:

Ricardo Miranda (Cau) said...

Bela poesia, Gustavo! A foto combinou bem com o texto: ficou bem expressiva...

Um abraço!