Sunday, July 19, 2009


NÔMADE CORAÇÃO


Meu coração é cigano

Nômade, sem porto

Pirata nos eternos mares

Beduíno nos desertos sem fim

No circo da vida

Palhaço, pierrô e arlequim


Na escola da existência

Meu coração, aprendiz do dia-a-dia

Ri para não chorar


Meu coração é um rei

Sem súditos ou castelos

Tem o mundo todo

Mas reina sozinho no peito

Meio sem jeito

Para todos os efeitos

Ele é apenas um bobo da corte


Meu coração é assim

Caçador nas savanas de emoções

Cavaleiro errante em meio a moinhos de ilusões

Saltimbanco itinerante

Um dia aqui, outro acolá

Ao sabor dos ventos


Meu coração só vai

Aonde os sonhos

Conseguem chegar...


(Gustavo Adonias)


*Poesia registrada na Biblioteca Nacional*



1 comment:

O NOVO POETA said...

belíssimo trabalho amigo.

e um forte abraço, fique em paz.