Monday, June 19, 2006

QUANDO EU AMO

"Quando eu amo
Espalho meus estilhaços
Reparto meu coração dolorosamente

Não sigo regras
Não ouço ordens
Me lanço na vida

Que venham as feridas e os cortes
Enfrento o fogo, o medo, a morte
Não consigo resistir

Se me chamarem de louco, isso ainda é pouco
Se calarem minha boca
Ainda assim ouvirão minha voz rouca

Eu não tenho paz, quero sempre mais
Tudo para fazer escorrer a dor crua e pura
Da paixão em ebulição."

(Gustavo Adonias)

1 comment:

Janaína Calaça said...

O amor é em si força agregadora e desagregadora ao mesmo tempo. Ele constrói e destrói. O amor é força. O amor é o que nos mantém sempre em busca de algo a mais. O amor é o que nos mantém em movimento.

Beijos

Jana